14 de mar de 2011

Uma Vida... Muitos mestres!

Esta caminhada intrafísica me apresentou a diversos instrutores, professores e mestres na área do Tai Chi Chuan e Chi Kung.

Em 1980, conheci as práticas de Tai Chi Chuan com o Dr. Moo Shong Woo, na Asa Norte, em Brasília. Naquela época, ainda sem a assiduidade e a determinação indispensáveis à obtenção dos benefícios que essa prática pode proporcionar, não cheguei a aprender sequer os movimentos básicos da série de 24 movimentos. Porém, mesmo sem dominar a técnica, já usufruía dos benefícios energéticos, de equilíbrio, coordenação motora e flexibilidade que todo praticante adquire, bastando treinar, pelo menos, 3 (três) meses seguidos, como sempre enfatiza o próprio Mestre Woo.

No início dos anos 90, participei de diversos workshops promovidos pela UNIPAZ, na formação Holística de base, sobre assuntos correlatos aos processos filosóficos e culturas que transcendem a persona. Um dos seminários foi com o Mestre Liu Pai Lin, que começava um curso de formação em Tai Chi Pai Lin em Brasília.

Na mesma época, conheci Mestre Dada Inocalla, sempre presente aos eventos da Universidade Holística de Brasília, com apresentações e vivências em grupo.

Ainda nos primeiros meses de 1990, participei de um curso de Chi Kung - Yoga, terapêutica Chinesa, realizado no Centro de estudos de Medicina Oriental de Brasília. O curso foi promovido pelo Dr. Francisco, conhecido em Brasília como "Chico Agulha", e foi ministrado pelo Dr. Gu Hanghu, recém chegado da China na ocasião.

Marcus Evandro e Mestre Wang Hsiao Po
No início do ano 2000, conheci o Dr. Wan Hsiao Po, com quem pude aprender ao longo de vários anos, Tai Chi Chuan, Chi Kung e massagem Tui Ná. Naquela ocasião, iniciou-se também meu aprendizado nas técnicas da acupuntura. O fato de sermos vizinhos me possibilitou colocar em prática a força de vontade, a perseverança e a determinação para acordar cedo, treinar, treinar e treinar. Até aos domingos, eu tinha que levantar cedo (7h para domingo é muito cedo!) para os exercícios. Apesar do "sacrifício", uma vez que para nós, ocidentais, essa rotina é muito dura, devo reconhecer que foi graças à didática do Mestre Wang e sua simplicidade em ensinar o passo a passo do Tai Chi Chuan, que pude aprender os movimentos e usufruir dos benefícios dessa prática milenar. Esse ensinamento é que procuro transmitir nas aulas que tenho tido a oportunidade de ministrar.

Continuando os estudos na prática do Tai Chi Chuan e Chi Kung, novos instrutores, professores e mestres foram surgindo. Desta feita, no início de 2010, iniciei curso de formação de dois anos, no IFTB-Instituto de Formação de Taijiquan de Brasília, sob coordenação do Dr. Aristein Woo. Com a atuação de professores graduados, como o Professor Magno Bueno (foto) discípulo direto de Chen Xiaowang, e instrutores bem treinados, são transmitidos ensinamentos sobre diversos estilos de Tai Chi, incluindo leque, espada, formas diversas de mãos livres e Chi Kung avançados.

Como a IFTB está vinculada à Associação Mundial Chen Xiaowang de Taijiquan, temos oportunidade de manter contato também com mestres de renome mundial, por meio da participação em diversos seminários promovidos pelo Instituto no decorrer do curso regular.

E a aprendizagem continua... sempre!

Saudações a toda hierarquia da sabedoria Tai Chi Chuan: TI NI
.

11 de mar de 2011

A Acupuntura e a Desinformação

Ilustração do Artigo
Hoje vários conselhos da área de saúde reconhecem a acupuntura como especialidade - o da própria medicina, o da psicologia, o da fisioterapia e o da farmácia, dentre outros.

Ora, se áreas tão díspares, dentro da mentalidade ocidental, aceitam os efeitos da técnica como válidos em seus campos específicos de atuação, uma obviedade se apresenta, mesmo para os que não conhecem a Medicina Tradicional Chinesa: a acupuntura, dentro de sua racionalidade própria, é que parece englobar esses campos específicos e extrapolar cada um deles.

Então o recado: para conhecer a acupuntura e aplicar seus conhecimentos de maneira realmente eficaz é necessário um estudo amplo e complexo, onde não cabe a especialidade como opção.

Ou seja, parafraseando uma campanha já em andamento pelo Brasil, "acupuntura é para acupunturistas"...

Leia a íntegra do artigo do ProfºPedro Ivo Marini Tahan, Diretor de Ensino e Informação da ENAc, publicado na Revista Terceiro Milênio.
.

10 de mar de 2011

Craniopuntura promove alívio "rápido e excepcional" em casos de dor

Dirce controla a dor ciática com a craniopuntura:
40 anos com as agulhas.
 Matéria de Márcia Neri,
publicada no Correio Braziliense, em 10/02/2010

Reconhecida pelo meio científico e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde a década de 1970, a acupuntura vem se aperfeiçoando e ganhando cada dia mais adeptos no mundo ocidental. A craniopuntura, considerada uma nova especialidade dentro da milenar terapia chinesa, tem provado que mesmo os recursos mais tradicionais da medicina oriental são passíveis de evoluções. A técnica, usada há apenas meio século, trabalha a inserção de agulhas no crânio e, segundo seus defensores, apresenta ótimos resultados no alívio da dor crônica, tratamento de danos neurológicos decorrentes de acidentes vasculares cerebrais, doenças degenerativas, hipertensão e até transtornos psicossomáticos.