24 de jun de 2014

O Alívio da Dor de Cabeça com DO-IN & TUI NÁ

A automassagem é um conjunto de toques, manobras, pressões e vibrações, basicamente manuais, auto aplicadas em partes específicas de seu corpo, com o intuito de harmonizar o micro sistema nas instâncias física, emocional, mental e bioenergética. A técnica se resume em pressionar, friccionar e/ou girar os pontos com a intenção mental de harmonia, saúde e cura.
Neste artigo, foram selecionados protocolos e combinações de pontos, com o objetivo de harmonizar as manifestações mais comuns de dores de cabeça, sejam elas frontal, lateral, na nuca ou no topo da cabeça.
A ideia de escrevê-lo surgiu ao lembrar dos pedidos que sempre recebo dos praticantes de Tai Chi e dos alunos dos cursos que ministro. E um dos mais frequentes é:

Professor, tem algum ponto para dor de cabeça?”

Obviamente, não tenho a pretensão de fazer um tratado teórico nem defender uma tese sobre a MTC-Medicina Tradicional Chinesa. Nesse artigo, pretendo, apenas, apresentar um protocolo prático e ilustrado de automassagem, exclusivo para a dor de cabeça.

É importante registrar que, além dessa prática, composta de manobras bastante simples, há movimentos corporais, formas e técnicas meditativas que podem suprir a necessidade dos que buscam tratamentos naturais efetivos e a autossuficiência, porém estes não serão tratados aqui.
Muitos dos protocolos e exercícios reunidos neste manual prático foram extraídos da massagem terapêutica Tui ná e dos pontos e meridianos da acupuntura, os quais utilizo em minhas atividades diárias como Acupunturista e Massoterapêuta.

A prática da automassagem é extremamente eficaz, desde que observadas as condições necessárias para sua realização. Em minhas aulas, ministro uma série de exercícios, meditações e automassagens, as quais também são compartilhadas com aqueles que tenho a oportunidade de atender em meu consultório. O intuito é, justamente, integrar corpo-mente-espírito para que o quantum energético de cura que está presente dentro de cada um possa aflorar.
Pode-se afirmar que a busca pela cura ou mesmo para amenizar dores, começa com o auto toque, por exemplo: quando sofremos algum golpe em determinada parte do nosso corpo, o primeiro reflexo é, exatamente, esfregar o local para aliviar a dor. Com isso, podemos perceber que o próprio efeito mecânico que o toque exerce sobre as estruturas anatômicas do corpo desencadeia uma série de processos naturais de preservação.
A pressão exercida sobre a superfície do corpo, por si só já provoca o envio de endorfinas capazes de aliviar a dor ou amenizar a situação como um todo; pode também desencadear o esvaziamento sanguíneo dos tecidos, melhorando a remoção dos resíduos do metabolismo celular e promover a chegada de sangue renovado com mais nutrientes. Pode provocar, também, uma reação sobre o sistema nervoso, que consiste em um arco-reflexo, cuja resposta é a vasodilatação, sem considerar os benefícios gerados na rede linfática, onde a circulação natural é feita com o movimento estrutural ou muscular, já que não tem um sistema de bombeamento como na circulação sanguínea, que possui o coração para impulsionar o sangue.

A importância da consciência e da concentração na harmonização do Qi
Considerando o trabalho com a terapêutica bioenergética, uma rede circulatória se faz presente: os 12 canais principais, os 8 canais extraordinários, os canais secundários e todos os anexos do sistema bioenergético chamados meridianos. Esta malha de canais principais e secundários formam campos bioenergéticos em regiões específicas, quase sempre ligados a glândulas endócrinas e plexos específicos do sistema nervoso, formando os chakras. Todo esse complexo forma um campo de sopro vital que envolve todo o nosso corpo, chamado também de aura ou psicosfera.

Assim, a intenção do coração e da mente, durante a aplicação da automassagem, e a consciência do momento presente exercem significante influência sobre o efeito do toque no corpo, potencializando os seus resultados. Por isso, recomenda-se uma série de treinamentos interiores, com a finalidade de aprimorar e fortalecer, no praticante, o domínio das técnicas bioenergéticas (captação, circulação e exteriorização do Qi), potencializando os resultados terapêuticos. Estes treinamentos estão incluídos nas práticas do Tai Chi Chuan que, além do trabalho corporal, envolve a meditação e o Qi Qong (exercício/cultivo do sopro vital, Qi).
As pressões nos Meridianos e Acupontos específicos interferem no fluxo do Qi, fazendo com que este se mova em harmonia por todo o corpo. A boa distribuição do Qi no corpo tem efeitos profundos em todos os aspectos do bem-estar mental, emocional, espiritual e físico.



Nenhum comentário:

Postar um comentário