5 de abr de 2014

OLVE “Oscilação Longitudinal Voluntária de Energias”

Por: César Machado em seu blog: ESTADO VIBRACIONAL

Participei junto com meu amigo, o terapeuta Marcus Evandro, nos dias 11 e 12 de janeiro de 2014, de dois cursos ministrados em São Paulo sobre bioenergias focados no Estado Vibracional: “Autodomínio do Estado Vibracional” e ”Energizador Lúcido”. Os instrutores foram os pesquisadores e professores de Conscienciologia Nanci Trivellato e Wagner Alegretti.

Wagner e Nanci dedicam-se há muitos anos a pesquisa das bionergias, dentre outros assuntos parapsíquicos. São diretores da IAC – Academia Internacional da Consciência, cuja atuação até pouco tempo não incluía o Brasil. A realização desses cursos faz parte dos planos dessa instituição em estender sua atuação pelas principais cidades do país.

Após anos ensinando pessoas de todo mundo a mobilizar bioenergias e aplicar a técnica do EV – Estado Vibracional, os professores acumulam a impressionante marca de mais de 2000 pessoas atendidas, o que lhes confere respeitável experiência nesses assuntos. De fato, não creio que existam pessoas conhecidas que entendam mais do assunto, seja conceitualmente, seja em termos práticos.

Os cursos, embora rápidos, foram riquíssimos em conteúdo, com incontáveis exemplos de casos que acompanharam que embasam os conceitos desenvolvidos sobre o EV.

Vou me deter somente no aspecto que considero o mais simples e, ao mesmo tempo, mais importante de todo o curso, em termos gerais.

OLVE “Oscilação Longitudinal Voluntária de Energias” é o termo criado por esses pesquisadores para ser usado em lugar de “circulação fechada de energias” como parte de uma iniciativa em tornar mais técnicos, sistemáticos e precisos os procedimentos relacionados a mobilização de energias que levam ao EV.


Segundo os pesquisadores, muitas pessoas equivocam-se, acreditando que estão fazendo a OLVE corretamente, quando não é isso o que acontece. Também equivocam-se ao acharem que atingiram o EV quando na realidade isso não chegou a acontecer. É preciso fazer a OLVE com atenção: ela deve começar na parte mais alta da cabeça e se estender até a ponta do dedão do pé.

Ainda segundo os pesquisadores, se a OLVE for feita corretamente, mesmo que a pessoa não atinja o EV, essa movimentação das energias, executada com frequência, por si só vai desobstruindo as energovias existentes dentro da estrutura do holossoma, trazendo com isso vários benefícios à saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário