28 de jan de 2011

Acupuntura e saúde : como sobrevivi a um grande desafio

Yara Márcia
Depoimento de Yara Márcia Almeida

muitos anos, meu interesse pela medicina alternativa se fez presente, talvez, por ter sido submetida a tratamentos sérios, por meio de alopatia, sem resultados concretos.

Sem ter conhecimento e boas referências sobre profissionais do ramo na cidade onde residia, seguia uma via crucis de especialista em especialista, hospitais, exames, sem obter um diagnóstico preciso ou melhora, a partir das prescrições realizadas. Ao saber do meu caso, uma pessoa amiga, indicou-me um acupunturista chinês, na capital paulista (eu residia no interior do estado, à época). Eu já havia lido vários artigos sobre os benefícios da acupuntura, praticava DO-IN e confiava plenamente nessa técnica, mas confesso que tive receio de não obter os resultados que eu esperava e precisava. Meu estado piorava a cada exame e chegou-se a pensar ser um caso raro de leucemia.
Foi difícil marcar uma consulta porque o acupunturista era renomado, com muitos casos de cura no currículo e agenda sempre lotada. Consegui, depois de um tempo, e fui para São Paulo com determinação e muita confiança na bagagem. Depois de algumas perguntas básicas sobre meu estado de saúde e hábitos de vida, ele iniciou o diagnóstico a partir da “leitura” do meu pulso, analisando as pulsações que revelam o estado de cada órgão; às vezes, chegava a fechar os olhos para sentir com mais precisão, parecendo ler, atentamente, o resultado de um exame já realizado.

“O problema é no útero e nos ovários”, disse ele, com a segurança de quem sabe do que está falando. Diagnóstico que descartei, de imediato, uma vez que eu já havia feito vários exames ginecológicos, inclusive ultrassonografias, cujos resultados refletiam outra realidade. Na hora, pensei em desistir e continuar minha busca. Não sei se ele percebeu meu desapontamento, mas abriu uma janela de possibilidades, indicando-me um exame, numa das clínicas mais modernas da América Latina, por meio do qual eu poderia confirmar seu diagnóstico. Bingo! Diagnóstico confirmado!

A partir dali, iniciei o tratamento e, durante quatro meses, ia uma vez por semana a São Paulo para aplicações de uma hora. Como já havia tirado muitos dias de licença, não podia me dar ao luxo de ficar sem trabalhar por mais tanto tempo. Pegava o ônibus às seis da manhã e voltava à cidade, no começo da tarde, direto ao trabalho. Foram dias complicados aqueles, mas graças a esse diagnóstico preciso e ao tratamento, consegui salvar um ovário e pude me preparar, adequadamente, para a retirada do útero, inclusive sem ter que passar por mais uma transfusão de sangue.

Passaram-se mais de vinte anos e, ao longo de todo esse tempo, lanço mão dos recursos da acupuntura para tratar quaisquer problemas que apareçam, principalmente, alergias respiratórias e problemas nas articulações, resultado do trabalho com computador e outros esforços repetitivos (LER/Dort). Tenho motivo de sobra para confiar e recomendar o tratamento com acupuntura, em todas as suas modalidades.

Mas, atenção! Há muita gente se intitulando acupunturista sem ter preparo e conhecimento suficientes. É indispensável, antes de iniciar qualquer tratamento, certificar-se de que o profissional tenha uma formação segura e tenha excelentes referências, com resultados comprovados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário